fbpx

Conhecida popularmente como desmaio, a síncope é caracterizada por perda súbita da consciência, que também está aliada a uma perda na postura. Normalmente é precedida por sensação de tontura, sudorese, palidez, visão embaçada, escurecimento visual e enjoo. Apesar de ser mais comum em idosos e mulheres jovens, atinge qualquer faixa etária. Na maioria das vezes, os desmaios não indicam doenças graves. Mas, em algumas situações, ele pode ser um sintoma de um problema de saúde sério.

Existem várias causas para os desmaios. Podem ser de ordem cardiovascular, pressão arterial, emocional, pelo uso de medicamentos, de ordem neurológica e até metabólica. A causa exata é definida por meio de avaliação clínica. Além de identificar a origem, o exame clínico pode contribuir para a descoberta de várias outras doenças por trás do desmaio. Por exemplo: arritmia cardíaca ou pressão baixa. Por isso, nem sempre o cérebro é a causa do desmaio.

Os exames complementares são sempre importantes nestes casos: exame de sangue, para determinar se a pessoa tem diabetes com provas de glicemia; se tem hipoglicemia ou distúrbios hormonais; exames cardiológicos, raio-x de tórax, exames neurológicos; eletroencefalograma, etc. Às vezes, o desmaio pode parecer convulsão, mas a convulsão é caracterizada na maioria das vezes por perda de consciência e movimentos involuntários ou contrações de repetição, o que é raro em situações de desmaio simples.

O tratamento da síncope depende do diagnóstico e determinação da sua causa. De qualquer forma, os desmaios devem ser motivo para uma consulta médica, principalmente se acontecem episódios recorrentes, mais de uma vez por mês.

Procure um profissional qualificado e de sua confiança.