Fascite plantar em atletas

27/05/2021

A fascite plantar é um processo inflamatório da fáscia plantar (estrutura que conecta a planta do pé até a base dos dedos). A fáscia plantar é uma estrutura importante para correr, andar, e impulsionar a passada. O sintoma mais característico da fascite plantar é uma dor forte, embaixo do pé, perto do calcanhar. Esse problema é muito comum, principalmente, em praticantes de atividades físicas como a corrida.

A fascite plantar ocorre principalmente em indivíduos que apresentam distúrbio postural dos pés e que passam a praticar atividades em pé, como caminhadas ou corrida por longos períodos.

Segundo a Sociedade Brasileira para o Estudo da Dor (SBED), estudos recentes demonstram que a dor pode estar associada a uma alteração estrutural mais condizente com processos degenerativos causados pela prática exagerada de exercícios físicos, sobrepeso ou idade.

Geralmente essa dor é mais intensa pela manhã ou após longos períodos apoiados sobre os pés. No entanto, nada impede que ela surja em qualquer ponto da fáscia, depois de longos períodos em pé, após subir escadas ou mesmo após ter repousado um pouco.

O diagnóstico é clínico e com base na história do paciente e no exame físico. Já o tratamento, inicialmente é conservador e consiste no uso de anti-inflamatórios não hormonais e no uso de palmilhas de material macio com suporte para o arco longitudinal medial e elevação do salto.

O tratamento para fascite plantar é lento e pode durar de 12 a 18 meses, mas é importante para diminuir a dor e melhorar a qualidade de vida do paciente. Sem tratamento, a dor pode se tornar crônica e provocar alterações na marcha, que podem reverter em lesões no joelho, quadris e coluna.

As atividades em pé, por tempo prolongado, as marchas de longas distâncias assim como a prática de esportes que envolvam saltos e corridas devem ser restritas para quem sofre com esse problema.

Recomendações para atletas com fascite plantar:

1. Realizar exercícios de alongamento da fáscia plantar e dos músculos da panturrilha. Vários autores sugerem o alongamento progressivo da fáscia plantar, do tendão de Aquiles e do músculo tríceps sural.

2. Realizar exercícios de fortalecimento da musculatura intrínseca do pé.

3. Aplicar gelo de 3 a 4 vezes ao dia.

4. Realizar massagem no local afetado, com objetivo de facilitar o alongamento e melhorar a circulação sanguínea.   

5. Realizar fisioterapia.

6. Uso de calcados/tênis adequado para a prática esportiva.

7. Alguns indivíduos beneficiam-se do uso de órteses no período noturno, que mantêm o tornozelo em flexão dorsal e, portanto, com a fáscia plantar alongada.

Visite regularmente seu ortopedista de confiança.

×